Blog

Campinas adere ao Programa Cidades Sustentáveis

23 de janeiro - 2013

O Prefeito de Campinas Jonas Donizette assinou nesta terça feita dia 22 de Janeiro o decreto criando o grupo gestor da agenda para a sustentabilidade aderindo assim ao Programa Cidades Sustentáveis.

“Todo diagnóstico analítico e comparativo é bem-vindo, e Campinas terá muito a ganhar” destacou o Diretor da Comurb, arquiteto Alan Cury que esteve no evento de assinatura:

Acompanhe a matéria do Jornal Correio popular com a reportagem de  Maria Teresa Costa teresa@rac.com.br

Jonas Donizette assina com o Programa Cidades Sustentáveis

Jonas (dir) durante o lançamento do Programa
foto: Ana Carolina Mora

 

Campinas aderiu terça-feira (22) ao Programa Cidades Sustentáveis e até fevereiro a Prefeitura vai definir um plano de metas a ser atingido em todas as áreas, para que o município seja inclusivo, educador, saudável, proporcione boa qualidade de vida à população e permita a participação da sociedade em todos os assuntos da vida pública. Esse programa será uma ferramenta de trabalho que o prefeito Jonas Donizette (PSB) quer adotar para direcionar as políticas públicas municipais.

No ano passado, os candidatos a prefeito da Região Metropolitana de Campinas (RMC) se comprometeram a adotar uma agenda de sustentabilidade em seus governos. Campinas é a terceira cidade a aderir formalmente ao programa — Holambra e Vinhedo já aderiram.

Jonas assinou decreto criando o grupo gestor da agenda para a sustentabilidade, que abordará as diferentes áreas, em 12 eixos temáticos. Até abril, o plano de metas estará concluído e serão divulgados os 100 indicadores que Campinas vai adotar para avaliar seu desempenho nessa agenda.

“Será um processo gradativo, que não se resolverá em uma gestão. Teremos metas a serem atingidas em um ano, durante o mandato e por tempo que ultrapassará a minha gestão. Essa será uma agenda da cidade”, informou o prefeito.

As cidades que aderem ao programa se comprometem a adotar medidas de sustentabilidade, como a redução da necessidade de utilização do transporte individual motorizado e promover meios de transportes coletivos acessíveis a todos, a preços módicos, a acelerar a transição para veículos menos poluentes ou melhorar a qualidade da água e também poupar água.

O plano de metas, explicou o secretário do Verde e Desenvolvimento Sustentável, Rogério Menezes, vai estabelecer informações sobre governança, bens naturais, economia local, educação, planejamento e desenho urbano, consumo responsável. Por exemplo, em governança, terá o diagnóstico do percentual de secretarias com conselhos de participação da sociedade, o número de audiências públicas realizadas por ano. Em bens naturais, a quantidade de metros quadrados de área verde por habitante, o percentual de perda de água no sistema de abastecimento, o percentual de esgoto coletado e tratado. Na área social, estará o percentual de matrículas em creche sobre o total de procura por vagas, o número de homicídios por 10 mil habitantes/ano, o percentual de população em condições de pobreza.

Leave a Reply